Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos
SalvéaLínguadeCamõesLiteraturaNotícias

“Salvé a Língua de Camões”

Histórias de preconceito e intolerância no universo trans

02.12.19

“Desculpe o Atraso, Eu não Queria Vir”, da autoria do dramaturgo brasileiro Cleyton Cabral, foi o texto da leitura encenada da passada semana que decorreu, como habitualmente, no Espaço Irene Vilar do Museu da Quinta de Santiago, integrada no Ciclo “Salvé a Língua de Camões”.
Promovido pela Câmara Municipal de Matosinhos, este projeto já vai na sua 15ª edição e resulta de uma parceria com a Companhia de Teatro Reactor.

O objetivo é a defesa e difusão da Língua Portuguesa, através de leituras dramatizadas de autores e poetas novos e consagrados da literatura portuguesa e lusófona.

Cleyton Cabral apresentou-se em vídeo para o público antes do início da sessão. “Desculpe o Atraso, Eu não Queria Vir” é uma obra de ficção dedicada à travesti paulista Renata Carvalho. A história, centrada numa mulher trans, aborda o preconceito e a intolerância que a protagonista sente por parte da sociedade que a rodeia, num percurso que começa na infância, passa pela adolescência e termina na idade adulta.

Este texto conquistou o 2º lugar no III Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia 2018, na categoria de Teatro Adulto.

Com encenação de William Gavião, a leitura do texto contou com a interpretação dos atores Ana Paula Alves, Duarte Moreno e Fátima Maganinho.
Da obra de Cleyton Cabral, destaque para a publicação dos livros “Tempo nublado no céu da boca “, “Mosaico”, “Escrever ficção não é bicho-papão“ e “O menino da gaiola“.

Em 2016, foi o vencedor na categoria dramaturgia (Teatro Adulto), no I Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia, com o texto “Talvez sim, talvez não”.

Já este ano, lançou o seu novo livro de contos “Planta baixa”. Atualmente está em digressão o seu primeiro monólogo “Solo de Guerra”.
A próxima sessão do Salvé a Língua de Camões decorre no dia 12 de dezembro, pelas 22h00, sob o tema, “Degustação teatral, os melhores momentos”. Uma proposta de leitura à la carte cheia de sabores fantásticos, com reduções provenientes de Portugal, Cabo Verde e Brasil. Em dezembro, o desafio será a realização duma experiência teatral definida no início da sessão pelo público participante. Este menu irá incorporar excertos dos textos apresentados de fevereiro a novembro e contará com a presença alargada de chefs e aprendizes da arte do Teatro, por forma a dar resposta aos gastrónomos desta degustação dos melhores momentos de 2019.

Excertos de dramaturgias de Alex Gruli, Cássio Racy, Cleyton Cabral, Fábio Brandi Torres, Júlia Zocchi, Marcos Ferraz, Ricardo Inhan (BR) Caplan Neves (CV) Fernando Giestas, Jorge Palinhos (PT).

 
not_salve_28_nov_1
not_salve_28_nov_2
not_salve_28_nov_3
not_salve_28_nov_4
not_salve_28_nov_5
not_salve_28_nov_6

Artigos relacionados: