Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos
MatosinhosemJazzMúsicaNotícias

Bruno Pernadas

Mais um grande concerto no coreto do jardim Basílio Teles

15.07.19

Ontem, ao final da tarde, Bruno Pernadas trouxe ao festival Matosinhos em Jazz a sua música marcada pelas influências do jazz, do afrobeat, do rock experimental, do folk, da world music ou da música eletrónica.

O músico português, de 36 anos, tem já uma longa carreira. Com apenas 13 anos, dedicou-se à guitarra clássica. Licenciou-se em Música pela Escola Superior de Música de Lisboa, na variante Jazz. Hoje, toca piano, guitarra, bateria, baixo, entre outros instrumentos.

Bruno Pernadas participou em inúmeros festivais na Europa, América do Sul e Ásia. Lançou até ao momento três discos a solo: “How can we be joyful in a world full of knowledge” (2014), “Those who throw objects at the crocodiles will be asked to retrieve them” (2016) e “Worst Summer Ever” (2016).

Colabora regularmente com outros projetos musicais como os Minta & The Brook Trout, Suzie's Velvet, The Sun Ra project e Montanhas Azuis. Já compôs música para cinema, dança contemporânea e teatro. O seu próximo álbum deverá sair em 2020.

No próximo fim de semana, o festival Matosinhos em Jazz está de volta, com as atuações de Salvador Sobral (dia 20 de julho) e de Susana Santos Silva (dia 21 de julho), sempre às 18h00, no coreto.

No fim de semana de 26 e 27 de julho, o Festival Matosinhos em Jazz deixa o Jardim Basílio Teles e muda-se para a Praça Guilherme Suggia, na Avenida D. Afonso Henriques, mesmo em frente à Igreja do Bom Jesus de Matosinhos.

No dia 26 de julho, pelas 22h00, a Orquestra Jazz De Matosinhos atuará acompanhada por Fay Claasen. No dia seguinte, à mesma hora, será a vez da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música subir ao palco com Avishai Cohen.

Além da música, o festival Matosinhos em Jazz apresenta uma exposição de artistas, ilustradores, designers e fotógrafos. Braulio Amado, Kruella D’Enfer, Catarina Glam e Pedro MKK foram os artistas convidados a recriar uma capa de um disco icónico do jazz mundial. O resultado das interpretações de cada um dos artistas está exposto no Jardim Basílio Teles, junto à Câmara Municipal, durante todo o mês de julho, com entrada livre.

image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title

Artigos relacionados: