Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos

Artesanato

Artesanato

ArtesanatoTurismo
thumbnail.jpg
 
Expressão artística de índole eminentemente popular, o artesanato exprime-se numa panóplia de motivos consequência das vivências dos artistas e do seu espírito criativo e inovador, duma necessidade premente em conceber arte num quadro de tranquila simplicidade.
Dar vida aos materiais inertes significa ser dotado de um condão muito particular em que a perceção do real e do imaginário se molda num objeto material que nos encanta pelo seu valor estético e pela sua individualidade, enquanto adorno pessoal, motivo de decoração para o lar, ou se revela de fundamental utilidade quotidiana.
Em Matosinhos, artesãos urbanos de todas as idades e saberes-fazer dedicam-se de forma muito pessoal a esta nobre atividade, que nos enche de orgulho e nos faz admirar o paciente labor de quem anima materiais tão simples como a madeira de samba, carvalho americano, mogno, teca, ou de toscas raízes de árvores, transformando-os em objetos de plena utilidade e dignos da nossa admiração.
 
Com técnicas muito pessoais, estas matérias-primas são transformadas em miniaturas de barcos de recreio, de pesca e em nós do seu cordame, em homenagem à graciosidade e elegância destas embarcações que evoluem no oceano vizinho, ou aos momentos de angústia e dor que jamais se apagam das gentes do mar. Dos mesmos materiais, com paciência e inspiração, nascem pequenos espigueiros, alfaias agrícolas, casas típicas, exemplares de antigos e atuais meios de transporte, coretos, carros de bombeiros, enfim, testemunhos da memória piscatória, rural e urbano-industrial desta terra em movimento.
 
Os materiais tradicionais, a lã e o linho, justificam a sua utilidade doméstica em humildes ou elaboradas passadeiras, carpetes e tapetes, estes também na qualidade de Arraiolos, símbolo da denúncia de que o artesanato de Matosinhos evolui pelo rejuvenescimento dos seus atores e das suas novas competências. Assim, na sua função decorativa, usa a pele de carneira em quadros, espelhos e candeeiros, o esmalte, as resinas, as marfinites e o gesso em molduras, espelhos, quadros, bijuterias e estatuária, entre outras peças decorativas na medida da imaginação dos seus intérpretes.
 
Conferindo utilidade objetiva às suas pulsões criativas, rochas como o granito e o xisto são utilizadas na conceção de artefactos para equipar a casa, resultando o trabalho do artesão em mobiliário com design único e personalizado, como mesas e estantes, desenvolvendo-se esta atividade como uma autêntica indústria caseira. Em pedaços de ardósia podem-se, ainda, encontrar inscritas frases alusivas ao amor e ao futebol, entre outros temas.
 
A escultura cerâmica, a pintura da porcelana e do azulejo integram, também, a produção artesanal matosinhense, mantendo esta uma tradição inculcada pela influência árabe no território peninsular. Em belos painéis de azulejos revivem-se episódios e figuras da história de Portugal, cenas da vida tradicional rural e piscatória, ou das imagens ainda bem presentes na nossa memória do labor industrial nas cidades e vilas portuguesas.
 
Ultrapassando a suave nostalgia das referências ao passado, uma nova geração de artesãos interiorizou novas técnicas e tecnologia produzindo bonitas peças de filigrana e joalharia em prata, como miniaturas de custódias, anéis e colares, autênticos hinos de paciência e arte, tal a meticulosidade do trabalho do artífice.
 
Tecidos variados e de cores garridas, envolvendo artisticamente simples pedaços de esponja, animam-se em lindos fantoches de elevado valor decorativo e de divertimento, que fazem as delícias das crianças e dos menos jovens, tal a graciosidade e irreverência que deles irradiam, reflexo da personalidade juvenil dos novos artesãos matosinhenses.
 
É assim o artesanato em Matosinhos; diversificado, criativo, inovador. Embora conservando muitos dos traços do passado, autênticas âncoras culturais desta terra secular, os seus artífices congregam na variedade dos artefactos que produzem a personalidade única de um concelho que pulsa ao ritmo dos desafios globais, mas que reflete nos seus valores e os eterniza nos saberes, competências e realizações das suas atuais gerações.
 
 
  • Albino de Oliveira Lopes

    Tipo de artesanato: Miniaturas de barcos de recreio e pesca, alfaias piscatórias, estatuetas de raízes de árvores, painéis, caixas e candeeiros em madeira
    (Comercializa. Participa em feiras)
     
  • António Augusto Carvalho Tomé

    Tipo de artesanato: Bijutarias em latão
    (Comercializa. Participa em feiras)
     
  • António Jorge Almeida Pereira

    Tipo de artesanato: Acessórios de moda (brincos, colares e pulseiras) em acrílico
    (Comercializa. Participa em feiras)
     
  • Carla Lopes

    Tipo de artesanato: Fantoches
    (Comercializa. Participa em feiras.)
     
  • Carlos Ribeiro / Carlos Alexandre

    Tipo de artesanato: Filigrana (custódias em miniatura e alfinetes dos mais variados motivos)
    (Comercializa. Participa em feiras)
     
  • Conceição dos Anjos Frutuoso

    Tipo de artesanato: Tapetes, carpetes e passadeiras em lã e linho
    (Comercializa. Participa em feiras)
     
  • Deolinda de Jesus Ramalho

    Tipo de artesanato: Tapetes de Arraiolos
    (Comercializa. Participa em feiras.)
     
  • Ilídio Altino Ribeiro Maia

    Tipo de artesanato: Miniaturas de Barcos
    (Comercializa. Participa em feiras.)
     
  • Joaquim Neves

    Tipo de artesanato: Nós de marinheiro, reproduções de naufrágios, símbolos em gesso
    (Comercializa. Participa em feiras)
     
  • Joaquim Torcato Silva Pombal

    Tipo de artesanato: Painéis em azulejos
    (Comercializa. Participa em feiras)
     
  • José Adérito Barroso

    Tipo de artesanato: Miniaturas de temas tradicionais (brinquedos, espigueiros, coretos)
    (Comercializa. Participa em feiras.)
     
  • Manuela Sofia Ramalho

    Tipo de artesanato: Relógios e quadros e candeeiros em pele de carneira
    (Comercializa. Não participa em feiras.)
     
  • Maria Cristina Rola dos Santos Bento

    Tipo de artesanato: Peças decorativas em gesso, marfinite, resinas, madeiras, tecidos, telas, vitrais, porcelana, esmalte e bijuterias em vidro.
    (Comercializa. Não participa em feiras.)
     
  • Rafael Mário Rodrigues Lopes

    Tipo de artesanato: Miniaturas de casas tradicionais portuguesas, relógios e gravações em lousa ou xisto e mobiliário em calcário
    (Comercializa. Participa em feiras.)
     
  • Sandra Mónica Oliveira da Silva

    Tipo de artesanato: Escultura em cerâmica e pintura de peças de porcelana
    (Comercializa. Não participa em feiras.)