Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos

Espólio de Souto de Moura na Casa da Arquitetura

Projetos, esquissos, maquetas e painéis fotográficos são alguns dos artigos do espólio do arquiteto Eduardo Souto Moura que integrarão o acervo da Casa da Arquitetura.

19.02.15

Recorde-se que a Câmara Municipal de Matosinhos está a reabilitar o edifício histórico da Real Vinícola para acolher as instalações da Casa da Arquitetura e a sede da Orquestra de Jazz de Matosinhos, entre outras valências.

O investimento, no valor de três milhões de euros, permitirá reunir condições técnicas de exceção para acolher, tratar e divulgar o trabalho de arquitetos portugueses.

O projeto da futura Casa da Arquitetura compreende uma grande área de reserva com espaços para depósito, coleções e arquivo, e também, ateliê de restauro e limpeza, ateliê de maquetes, biblioteca, área expositiva e espaço de conferências.

Eduardo Souto Moura, vencedor do Prémio Pritzker, é o autor do projeto da Marginal de Matosinhos. O seu espólio foi já entregue no final do ano passado e, em breve, será assinado o contrato de depósito entre o arquiteto, a Câmara Municipal de Matosinhos e a Casa da Arquitetura.

Do espólio entregue constam 402 maquetas de estudo, em cartão prensado, a coleção de maquetas de apresentação "Temi di projeti - Obras e Projetos de Eduardo Souto Moura", na maioria em madeira, 21 projetos, 54 painéis fotográficos com fotos do Luís Ferreira Alves e, em alguns casos, esquissos do arquiteto.

Em declarações

O presidente da Autarquia reconhece ser “uma honra” para Matosinhos que um legado com esta dimensão cultural lhes seja entregue, para que possa ser preservado e divulgado.

Para Guilherme Pinto, “a confiança que o arquiteto Souto de Moura depositou em nós credibiliza mais ainda o projeto da Casa da Arquitetura, que rapidamente adquirirá a projeção internacional que a arquitetura portuguesa justifica".

Enquanto decorrem as obras de reabilitação do edifício da Real Vinícola, o espólio de Souto Moura ficará sob a alçada da Autarquia e da Casa da Arquitetura.

O contrato de depósito não implica qualquer pagamento. Caberá à Casa da Arquitetura dar a conhecer o espólio e expô-lo nas suas instalações e/ou em outros pontos de interesse nacional e internacional.

Com este entendimento, o espólio de Eduardo Souto Moura permanecerá em Portugal e “será uma pedra basilar na concretização do projeto da Casa da Arquitetura e na afirmação de Matosinhos como Cidade dos Arquitetos”.

Artigos relacionados: