Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos

Quinta de Santiago

Museu da Quinta de Santiago

CulturaMuseusMuseu da Quinta de Santiago
thumbnail.jpg
 
Preservar e divulgar a memória histórica de Matosinhos e Leça da Palmeira através da arte é a missão central deste museu tutelado pela autarquia de Matosinhos e inaugurado em 1996.

O museu, inserido num edifício histórico, concluído presumivelmente em 1896, foi construído para residência da família Santiago de Carvalho e Sousa, com projeto do arquiteto italiano Nicola Bigaglia, é testemunha privilegiada das profundas transformações urbanísticas e sociais ocorridas na cidade de Matosinhos-Leça nos finais do séc. XIX e ao longo do séc. XX.

Integra, desde 2003, a Rede Portuguesa de Museus, e é um dos espaços museológicos fundadores da MuMa - Rede de Museu de Matosinhos.

Desde 2010, o espaço da Quinta de Santiago é constituído por 3 edifícios: O Museu, composto por 2 pisos musealizados: o primeiro piso dedicado à história local e social, é um exemplo das vivências de finais de séc. XIX e princípios do séc. XX, e o segundo piso alberga exposições de longa duração, com exibição de obras do acervo de Arte da autarquia, do qual destacamos obras de António Carneiro, Agostinho Salgado, Augusto Gomes Aurélia de Souza e Joaquim Lopes; o Espaço Irene Vilar, dotado de auditório polivalente e espaço de serviços educativos; e a Casa do Bosque, onde se encontra instalada a Cascata Gigante, com cerca de 15m2, uma reconstrução representativa da Leça de inícios do séc. XX, construída por José Moreira e doada ao Museu.

No amplo jardim que rodeia o Museu o visitante pode encontrar obras escultóricas de Siza Viera, Rui Anahory e Lagoa Henriques.

 

Visitas:

Visitas Guiadas ao Museu e exposições. Por marcação.

Visitas Especiais:

  • Animada - Com o apoio de marionetas e adereços, esta visita faz-se brincando ao faz-de-conta, proporcionando interação entre o guia e osparticipantes [a partir dos 4 anos]
  • Às escuras – à luz de lanternas, direcionada para os pormenores decorativos da Casa [a partir dos 8 anos]
  • Teatralizadas – Personagens que outrora habitaram a Casa, como o Mordomo Baptista, o Cocheiro Gervásio, as Criadas Rosa Maria e Conchita, o arquiteto Nicola Bigaglia, entre outros, guiam o visitante e partilham momentos da época.
  • Literárias – Com apontamentos de trechos literários de finais de séc. XIX e princípios de séc. XX.
 

Atividades:

  • Ateliês de exploração das exposições – em todas as exposições existem propostas de exploração [a partir dos 4 anos].
  • À descoberta da casa! - Prova de orientação e descoberta realizada no interior e exterior da Casa de Santiago [dos 6 aos 12 anos].
  • Criança Traz Adulto: Domingo de Famílias - no 1º domingo de cada mês acontecem momentos de envolvência e interatividade em família [a partir dos 4 anos].
  • O Museu é + velho do que eu! – Festas de aniversário para crianças dos 6 aos 12 anos. Inclui uma visita especial e atividade à escolha do aniversariante.
  • Vem descobrir a Cascata Gigante! – Visita + atividade – visita à cascata e conceção de bonecos e/ou adereços a partir da modelagem em barro ou gesso ou através da reutilização de materiais [a partir dos 4 anos].
  • Campos de férias – colaboração nos Campos de Férias promovidos pela Autarquia, para crianças dos 6 aos 14 anos.

(para mais informações consultar separador CASA DO BOSQUE)

 

Fora de Horas

Q2: museu aberto até à meia-noite:
Todos os meses o Museu promove visitas e leituras encenadas:
Visitas especiais na 2ª quinta-feira do mês, às 21h30, com inscrição prévia obrigatória.
Salve a Língua de Camões na última quinta-feira do mês, às 21h30, leituras encenadas de textos em língua portuguesa. Parceria com TEATRO REACTOR MATOSINHOS

 

Museu acessível:

O museu dispõe de cadeira elevatória com cinto de segurança na cintura e capacidade para 120 kgs e de cadeira de rodas de apoio de utilização nos pisos 1 e 2. O jardim é parcialmente acessível, pois tem percursos com uma inclinação acentuada. Os wc’s (no Museu e auditório) são adaptados.

Serviço educativo: Quadros táteis para invisuais; visitas especiais (visita teatralizada; visita animada), oficinas de expressão plástica adaptadas a grupos com necessidades especiais.

 

Horários:

De Abril a Agosto
Terça a Domingo das 10h às 18h
[encerra para almoço das 13h às 15h]

De Setembro a Março
Terça a Sexta das 10h às 18h
[encerra para almoço das 13h às 15h]
Sábados, Domingos e Feriados das 15h às 18h

 

Contactos:

Tlf: 229392410
Email: museuqsantiago@cm-matosinhos.pt 
Serviço Educativo: casadobosque@cm-matosinhos.pt 

Morada: Rua de Vila Franca, 134, 4450-802 Leça da Palmeira

http://www.facebook.com/museuquintasantiago 

Localização: 41º11’34.49’’N / 8º 41’28.89’’W

Transportes: Metro Linha A – Mercado de Matosinhos | STCP 507 | Resende 105, 106 e 120

Entradas e estacionamento:
Rua de Vila Franca, 134, 4450-802 Leça da Palmeira
Rua Pinto de Araújo, s/n, 4450-776 Leça da Palmeira

 
Google Map



Normas das Visitas Guiadas ao Museu

O Museu disponibiliza visitas guiadas à semana e aos fins-de-semana e feriados. As visitas guiadas podem ser regulares ou especiais:

Visita guiada regular: A visita é realizada por um técnico do Museu e tem a duração estimada de 45 minutos. Durante a semana as visitas realizam-se sempre que o visitante requisitar, enquanto aos fins-de-semana e feriados o horário é o seguinte:

Horário de Outono/ Inverno

Horário de Primavera/Verão

1 de Outubro a 31 de Março

1 de Abril a 30 de Setembro

15h30 e 16h30*

11h, 12h, 15h30 e 16h30*

 

Visitas guiadas especiais: realizam-se durante a semana e ao fim de semana, mediante marcação prévia têm a duração estimada de 60 minutos, nas seguintes condições:

de Terça a Sexta-feira

Sábados, Domingos, Feriados e Q2

Mínimo: 10 e máximo: 25

Mínimo: 20 e máximo: 25

 

. Visitas à Escuras: Visita direccionada aos pormenores decorativos da Casa dos Santiago, num museu escuro como breu. Realizadas apenas em períodos nocturnos.

. Visita Animada: Visita direccionada para público até aos 6 anos de idade e público com necessidade especiais.

. Visitas Literárias: Visitas teatralizadas com leituras de trechos literários da época (meados de séc. XIX a meados do século XX).

. Visitas Teatralizadas: Visitas realizadas por personagens que outrora habitaram a Casa dos Santiago:


Os serviçais

 

imagem

O mordomo Baptista

O chefe dos criados da Casa conhece todos os (re)cantos do edifício. Sério, discreto, conhecedor da história da Família Santiago. Oriundo de Matosinhos, concelho d’ orgulho, na casa dos seus amos, com que extraordinária sinceridade, solta, numa fúria, o historiador dentro de si.

(…) E o mordomo bendito, abrindo largamente os dois batentes, anunciou: – Monseigneur est servi! Na mesa, que pelo esplendor das orquídeas mereceu os louvores ruidosos de Sua Alteza, fiquei entre o etéreo poeta Dornan e aquele moço de penugem loura que balouçava como uma espiga ao vento. (…)

A Cidade e as Serras, Eça de Queiroz

 

Conchita, a criada espanholita

Conchita é aia andaluza da mulher de Dinis Santiago, Mari de Carmen Navarro.imagem A sua presença nesta casa é marcada pelo taptap no soalho: tão aficionada do baile que até dorme de sapatos, sempre preparada para um repente de salero que surja a  horas tardias. Pela comida caliente torna-se próxima a Gervásio, e é ela a professora de Rosa Maria, ensinando-a a ler e escrever em “portunhol”.

El campo
de olivos
se abre y se cierra
como un abanico.
(…)

Paisaje, Frederico Garcia Lorca

 

imagem

Gervásio, o cocheiro

Gervásio é um “torna-viagem”, natural de Matozinhos, cidade do estado de Minas Gerais que possui um templo dedicado ao Senhor de Matosinhos. Popular, bem-disposto, amante da pinga e de caldo requentado, este trabalhador moço da Casa, com sentimentos em pleno viço, conhece bem o concelho, seus bailes e moças lavadeiras.

(…) Uma das causas, ou antes a causa da greve é que os cocheiros querem ser funccionarios públicos. Nem mais, nem menos. A sua pretenção é que a munici- palidade de Pariz se torne proprietária das tipóias de praça e que elles passem, portanto, a ser empre- gados municipaes, com ordenado e aposentação. Cada carruagem constituirá assim uma verdadeira repartição de que o cocheiro será, a todos os respeitos, o director geral. (…)

Ecos de Paris, Eça de Queiroz

 

imagem

Rosa Maria, a criada

Rosa Maria serve a família Santiago faz tempos, desde muito nova. A mãe dela é a cozinheira dos Santiago. Sabe ler e escrever por iniciativa da Senhora Maria Carolina, que a ensinou.
É indolente em algumas tarefas da casa mais meticulosas - como polir pratas e dispor a mesa do jantar. Atenta aos pormenores que se relacionam com a vida alheia, conhecida de muitas criadas de outras casas, desvenda a Dona Maria os mil e um detalhes do quotidiano da nobreza e burguesia de Leça.

(…) Tinha para isso muitas razões, dizia: dormia num cubículo abafado; ao jantar não lhe davam vinho, nem sobremesa; o serviço dos engomados era pesado; Jorge e Luísa tomavam banho todos os dias, e era um trabalhão encher, despejar todas as manhãs as largas bacias de folha; achava despropositada aquela mania de se porem a chafurdar todos os dias que Deus deitava ao mundo; tinha servido vinte amos e nunca vira semelhante despropósito! (…)

O Primo Basílio, Eça de Queiroz

 

Os nobres e os burgueses

 

imagem

Nicola, o arquiteto

Nicola Bigaglia é veneziano e professor de modelação ornamental. Arquiteto decorador com horror ao vazio, conheceu João Santiago aquando da encomenda da Casa de Vila Franca, tendo mantido extensa correspondência com o seu cliente. A sua obra é sinónimo de fantasia determinada em harmonia, sendo o ecletismo o mote do seu carnaval.

(…) Aqui [em Portugal] importa-se tudo. Leis, idéias, filosofias, teorias, assuntos, estéticas, ciências, estilo, indústrias, modas, maneiras, pilhérias, tudo nos vem em caixotes pelo paquete. A civilização custa-nos caríssima, com os direitos da Alfândega: e é em segunda mão, não foi feita para nós, fica-nos curta nas mangas...
(…)

Os Maias, Eça de Queiroz

 

imagem

Joana Vasconcelos e Sousa, a amiga

A amiga futurista de Dona Maria Carolina vem de Paris dos anos 20. É moderna, sufragista e adepta do chique chique a valer. Conhece bem os meandros artísticos de Leça, nas artes plásticas e na literatura. Altiva e segura de si, uma verdadeira independente.

(…) Não sei, é verdade, se talvez as mulheres amem as revoltas. Não valemos mais que os homens, mas o poder não nos corrompeu ainda. (…)

A Comuna, Louise Michel

 

imagem

João Santiago de Carvalho e Sousa, o proprietário

Aristocrata minhoto, doutor em leis, político e monárquico convicto, considera-se o último grande romântico português, como o comprova a história de amor que viveu com Maria Carolina Magalhães, sua esposa. De espírito rebelde e guerreiro não enjeitava um bom duelo. Homem inteligente, culto e empreendedor, tem o rasgo de mandar construir a Casa de Santiago, em Leça da Palmeira, com o risco do célebre arquiteto italiano Nicola Bigaglia, embora sob sua orientação.

Ser espirituoso é metade de ser diplomata. (...) O espírito move tudo e não responde por coisa alguma: ele é a eloquência da alegria, e o entrincheiramento das situações difíceis: salva uma crise fazendo sorrir: condensa em duas palavras a crítica de uma instituição: disfarça às vezes a fraqueza de uma opinião, acentua outras vezes a força de uma ideia: é a mais fina salvaguarda dos que não querem definir-se francamente: tira a intransigência às convicções, fazendo-lhes cócegas: substitui a razão quando não substitui a ciência, dá uma posição no mundo, e, adoptado como um sistema, derruba um império. E, sobretudo pelo indefinido que dá à conversação, ele é a arma verdadeira da diplomacia.

Uma Campanha Alegre, Eça de Queiroz

 

Visitas teatralizadas

Câmara Municipal
Presidente
Luísa Salgueiro

Vereador da Cultura
Fernando Rocha

Coordenação
Clarisse Castro
Maria José Rodrigues

Museu Quinta de Santiago
Cláudia Almeida
Fátima Alves
Fátima Barros
Fernanda Pinho
Fernando Raeiro
Marisa Ramos

Elenco
Mordomo Baptista: Joel Cleto
Criada Conchita: Ana Paula Costa
Cocheiro Gervásio, proprietário João Santiago, arquitecto Nicola Bigaglia: Luís Soares
Criada Rosa Maria, amiga Joana Vasconcelos: Rute Alves

Duração aprox. 45m.
N. mínimo: 10 / máximo: 25 participantes.
Marcações: casadobosque@cm-matosinhos.pt 

 

 

* Sempre que esteja a decorrer um Aniversário no Museu, o horário das visitas guiadas é: 11h, 12h, 16 e 17h.

 

Custos associados: visita regular - 1€ e visitas especiais - 2€ a acrescer ao valor de entrada ao Museu (1€). A estes valores são aplicados descontos de 50% nos cartões Matosinhos Sénior e Matosinhos Jovem.

FICHA DE INSCRIÇÃO PARA DOWNLOAD