Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos

Recriações Históricas

As Bodas de Cayo Carpo e Cláudia Lobo

As Bodas de Cayo Carpo e Cláudia Lobo são sumptuosas e magnificentes nas danças das bailarinas e bailarinos representando as diferentes regiões do Império. O cortejo dos Nubentes, composto por escravos e vestais é recebido com a música tonitruante das trombetas, largada de pombas brancas e por danças exóticas num cerimonial de invocações aos deuses e de augúrios.




Circo Romano

Os espectáculos mais desejados pelas multidões que frequentavam os anfiteatros romanos eram, sem dúvida, os combates entre gladiadores. Faziam-se apostas, formavam-se “claques”, injuriavam-se os vencidos e aclamavam-se apoteoticamente os vencedores.




A Lenda de Cayo Carpo

A lenda de Caio Carpo vem do tempo em que o território de Matosinhos ainda não era cristão. Pois casando-se ele, nobre senhor maiato com Cláudia Lobo, gaiense e descendente de um pretor romano, fizeram-se grandes festas junto ao mar.

Cayo Carpo e os patrícios que o acompanham estão na Praia a cavalo quando avistam uma embarcação. O cavalo de Carpo corre para a água, ele tenta pará-lo, mas o cavalo entra no mar e desaparece na escuridão.

Cayo Carpo a galopa mar adentro, pelo fundo do mar até entrar numa nau que transporta o corpo de Santiago para Compostela. Às vestes de noivado de Caio agarram-se-lhe algumas vieiras. Da praia todos os olham à distância.

Cayo Carpo, ante o cadáver do apóstolo ficou deslumbrado. Logo ali quis ser baptizado e regressou noutra cavalgada à praia a anunciar a boa nova. E todos os seus convidados, emocionados com o que se passava, se baptizaram à vista do corpo daquele que seria Santiago de Compostela.