Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos

Conselhos aos Pais

É fundamental ensinar aos seus filhos como se devem proteger quando estes se encontram na rua. É pouco provável que um estranho se intrometa com uma criança sozinha. Deste modo é importante que o seu filho conheça algumas regras de segurança e saiba como se proteger. No entanto, tal deve ser feito sem que ele fique com medo de tudo e de todos ou sem entrar em demasiado em pormenor sobre os perigos.

A segurança das crianças deve ser preocupação de toda a gente. Se vir uma criança só e aparentemente perdida tente ajudá-la. No entanto tenha cuidado na forma como o faz, pois a criança pode estar assustada e recear falar com estranhos.

• Ensine aos seus filhos que não devem ir a lado nenhum sem pedirem autorização e dizerem aos país ou a quem está a tomar conta deles com quem vão. Se o seu filho já tem idade para sair de casa sem necessidade da companhia dos pais, aconselhe-o a arranjar companhia sempre que possível.

• Diga aos seus filhos que, quando estiverem sozinhos na rua, não devem falar com ninguém nem aceitar nada de alguém que não conheçam bem.

• Um estranho ou mesmo um parente adulto podem representar uma ameaça para uma criança - física ou sexualmente. As crianças devem ser ensinadas a manterem-se em segurança, e esse papel cabe, sobretudo, à escola e à família.

• Não peça um estranho para olhar pelas crianças, nem mesmo por breves instantes ou enquanto vai ao W.C.

• Não devem acreditar em estranhos, mesmo que digam seja para transmitir um recado dos pais ou de outros familiares, nesta situação deverão procurar ajuda de imediato junto de um agente de segurança.

• Sensibilize os seus filhos para lhe contarem se algum desconhecido tentou travar conhecimento com eles, dê-lhes o conforto de que nada de mau lhes acontecerá se os pais estiverem a par do que se passa.

• Ensine aos seus filhos o que fazer em caso de se perderem. Diga-lhes quem devem procurar: um polícia, um bombeiro, ou alguém que trabalhe numa loja ou uma pessoa que esteja com outras crianças. Diga-lhes que não se afastem do local onde viram os pais pela última vez.

• Diga aos seus filhos que se por acaso forem seguidos na rua devem procurar ajuda na primeira casa ou estabelecimento comercial que encontrarem. Se forem atacados e os tentarem agarrar, devem espernear e gritar o mais alto que puderem pedindo ajuda.

• Se forem agredidos por outros jovens ou adultos para os roubarem, não devem resistir e entreguem o dinheiro ou os valores que tiverem com eles. Logo que possam, deverão pedir ajuda a um agente de segurança.

• Mantenha o seu filho junto a si, se for consigo às compras ou a outro lado num carrinho, mantenha-o ao seu lado, ver o carrinho à distância não é o suficiente.

• Não deixe o seu filho bebé com outra criança, pois ambas precisam de ser supervisionadas.

• Se numa loja, estabelecimento comercial, ou qualquer outro local de atendimento ao público não deixarem entrar o carrinho do bebé, proteste, se persistirem na recusa de deixar entrar o carrinho, leve a criança consigo.

• Não deixe as crianças pequenas sem vigilância nas áreas de diversão de lojas e centros comerciais, devem ficar permanentemente vigiadas.

• Ensine a sua morada e número de telefone aos seus filhos para que, no caso de se perderem, estes possam transmitir a um agente de segurança e os poderem levar a casa o mais rápido possível.

• Se o seu filho ainda não memorizou a residência e o número de telefone, dê-lhe um pequeno cartão para ele trazer sempre com ele.

 

As recomendações que os pais e educadores devem adoptar com as crianças e os adolescentes na utilização da Internet são as seguintes:

• De forma a monitorizar o que os jovens estão a fazer na Internet deverá colocar um computador com acesso à Internet num quarto ou área comum;

• Ensine-os a respeitarem a propriedade de empresas e de outras pessoas, não se dedicando por exemplo à pirataria;

• Procurar conversar com eles sobre os aspectos positivos e negativos da Internet e incentiva-los a partilhar as suas experiências na Internet consigo;

• Quando eles se sentirem desconfortáveis ou nervosos com alguma experiência que tiveram na Internet, deverá promover a partilha de informação incentivando-os nessa partilha;

• Ensinar-lhes que nunca devem marcar encontros pessoais com amigos virtuais, explicar que os amigos virtuais podem não ser quem eles afirmam ser;

• Veja regularmente os sites que visitam e defina horários e períodos de utilização da Internet;

• Dizer-lhes que em caso algum devem fornecer dados pessoais a desconhecidos. Falar com as crianças e adolescentes sobre os potenciais perigos que existem na Internet e sobre os predadores sexuais;

• As crianças mais pequenas não devem utilizar salas de conversação. Quando forem mais velhas encoraje-as para utilizar salas de conversação monitorizadas;