Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos
Imagem reactor 1 2500 2500
EmpreendedorismoEconomiaNotícias

Reactor nasce na Lionesa

Projeto de apoio à inovação e empreendedorismo conta com o apoio da autarquia

12.01.18

Um projeto pioneiro e único do Norte de Portugal para o mundo. Assim ambicionam a Porto Business School, a Bright Pixel e a Lionesa, que juntaram esforços e criaram o projeto Reactor.

Trata-se de um projeto de apoio à inovação e empreendedorismo, oferecendo às empresas e às startups serviços de consultoria, aceleração, investimento e programas de formação de forma a potenciar o acesso a redes de inovação em todo o mundo e a impulsionar o desenvolvimento empresarial e económico.
Além da Porto Business School, Bright Pixel e Lionesa, o projeto conta ainda como parceiros a Beta-i, Chain Reactions, Nos e as câmaras municipais de Matosinhos e do Porto.

Sedeado nas instalações da Lionesa, em Leça do Balio, o Reactor integra o projeto de expansão do Centro Empresarial Lionesa 2025.

Cada entidade terá uma função diferente. A Porto Business School (Universidade do Porto) assegura a coordenação, gestão e implementação do projeto, criando produtos e serviços direcionados para empresas e startups, nomeadamente programas de formação e consultoria na área da inovação. A Brixtel Pixel ajudará as empresas na captação de recursos financeiros externos para o investimento em startups. A Lionesa, com o seu projeto de expansão até 2025, no valor de 100 milhões de euros, pretende criar mais e melhores condições para o tecido empresarial, ampliando o espaço para 100 mil metros quadrados.

A apresentação decorreu ontem na Lionesa e contou com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, do Vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, da Secretária de Estado da Indústria, Ana Lehmann, do administrador do Centro Empresarial da Lionesa, Pedro Pinto, do Dean da Porto Business School, Ramon O’Callaghan, entre outros convidados.

Atualmente trabalham na Lionesa cerca de cinco mil pessoas. A taxa de ocupação é de 100%. O projeto de expansão prevê a criação de um hotel, uma residência universitária, uma academia de paddle, uma galeria de arte urbana a céu aberto, entre outras valências.

Luísa Salgueiro reafirmou o apoio da autarquia de Matosinhos a este projeto, adiantando que está em curso um estudo de identificação das áreas prioritárias de investimento para o Concelho, documento que servirá de ponto de partida para a criação da futura Agência do Investimento Municipal. Com esta aposta, a edil pretende apoiar a fixação de jovens qualificados, criar novos postos de trabalho, apoiar os empreendedores na área da internacionalização através de candidaturas a fundos comunitários, entre outras valências.

  • Not reactor 1 1 882 600
    Not reactor 1 1 139 90
  • Not reactor 2 1 882 600
    Not reactor 2 1 139 90
  • Not reactor 3 1 882 600
    Not reactor 3 1 139 90
  • Not reactor 4 1 882 600
    Not reactor 4 1 139 90
  • Not reactor 5 1 882 600
    Not reactor 5 1 139 90
  • Not reactor 6 1 882 600
    Not reactor 6 1 139 90
  • Not reactor 7 1 882 600
    Not reactor 7 1 139 90
  • Not reactor 8 1 882 600
    Not reactor 8 1 139 90
  • Not reactor 9 1 882 600
    Not reactor 9 1 139 90
  • Not reactor 10 1 882 600
    Not reactor 10 1 139 90
  • Not reactor 11 1 882 600
    Not reactor 11 1 139 90
  • Not reactor 12 1 882 600
    Not reactor 12 1 139 90
  • Not reactor 13 1 882 600
    Not reactor 13 1 139 90

Artigos relacionados: