Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos
FestadaPoesiaLiteraturaCulturaNotícias

Festa da Poesia

Calma portugueses, está quase a começar a Festa da Poesia.

06.12.17

“Coragem portugueses, só vos faltam as qualidades” – a atrevida frase final do “Ultimatum Futurista” já está escrita nas ruas de Matosinhos. Mas não se trata de uma provocação. Tal como sucedeu nos anos anteriores, os versos pintados no asfalto abrem simbolicamente as portas de mais uma edição da Festa da Poesia, este ano com a programação concentrada no dia 8 de dezembro. Não é por acaso. Neste dia nasceu e morreu a poetisa Florbela Espanca, que dá nome à biblioteca municipal de Matosinhos, palco central do evento.

Para além dos versos que pintam a cidade, a Festa da Poesia incluirá as habituais conversas e sessões de homenagem à palavra dita, um momento musical e, este ano pela primeira vez, um espetáculo da Lisbon Poetry Orchestra: “Poetas Portugueses de Agora” levará ao Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery a poesia de uma nova geração de poetas que se tem vindo a afirmar no panorama literário nacional, entre os quais se contam Valério Romão, Cláudia R. Sampaio, Paulo José Miranda e Daniel Jonas. A declamação estará a cargo de André Gago, Nuno Miguel Guedes, Paula Cortes e Miguel Borges, acompanhados pelo baixo de Alexandre Cortez, pelos teclados de Filipe Valentim, pelo clarinete, saxofone e viola de Luís Bastos e pela guitarra elétrica de Tiago Inuit.

Assinalando o centenário do “Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do Século XX”, de Almada Negreiros, publicado a 17 de Dezembro de 1917, a seleção dos versos semeados este ano nas ruas de Matosinhos centra-se nos autores da geração literária surgida com as revistas Portugal Futurista e Orpheu, incluindo versos do próprio Almada Negreiros e também de Álvaro de Campos, Mário de Sá Carneiro e Oswald de Andrade, entre outros.

Na Biblioteca Municipal Florbela Espanca o programa arrancará às 15 horas, com uma homenagem a Alberto a cargo do poeta e ensaísta Fernando Pinto do Amaral. Às 16h30 os escritores Paulo M. Morais e Isabel Rio Novo dir-se-ão poemas cúmplices e amorosos e, pelas 17 horas, entra em cena o cantor, compositor e poeta Rui Reininho, para uma conversa sobre a sua relação com a poesia que incluirá a leitura de versos selecionados pelo autor de “Sífilis versus Bilitis”.

O programa na biblioteca encerrará com a guitarra e a voz do crooner Rui David, que dará voz e melodia à poesia de autores como Manuel Alegre ou Leonard Cohen.

Consulte aqui o Programa

imagem

Artigos relacionados: