Passar para o Conteúdo Principal
C.M Matosinhos
AutarquiaNotícias

Contas de 2016

Câmara com resultado líquido positivo de quase 3 milhões de euros

18.04.17

O executivo da Câmara Municipal de Matosinhos aprovou hoje, com dois votos contra (PSD e CDU) e três abstenções (PS), o relatório de atividades e de gestão relativo ao ano de 2016. O documento foi também apresentado à comunicação social pelo presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Eduardo Pinheiro, que enfatizou a coerência das apostas do executivo, o equilíbrio financeiro da autarquia e o resultado líquido positivo do exercício, que rondou os três milhões de euros.

“Matosinhos já ultrapassou o momento em que ainda se podia argumentar se o copo estava meio cheio ou meio vazio. Temo-lo definitivamente atestado”, considerou Eduardo Pinheiro, que destacou a aposta feita pela câmara no domínio da programação e divulgação cultural, concretizada com a realização da Capital da Cultura do Eixo Atlântico e que terá seguimento este ano com apostas como a Casa da Arquitectura-Centro Português de Arquitectura. “Matosinhos conheceu um salto qualitativo inegável”, declarou o presidente, recordando que a câmara concretizou também importantes apostas na área da requalificação urbana e dos conjuntos habitacionais municipais.

Como resultado desta aposta, e também da boa capacidade de execução demonstrada, as contas da autarquia no ano de 2016 espelham também um aumento do endividamento municipal, que cresceu cerca de dez milhões de euros relativamente a 2015. Eduardo Pinheiro frisou, todavia, que mesmo este aumento da dívida “é uma boa notícia”. “Permitiu executar um conjunto de intervenções que beneficiam a qualidade de vida da população e que, de outro modo, não se fariam”, sintetizou o presidente.

Atestando o equilíbrio financeiro da Câmara Municipal de Matosinhos, Eduardo Pinheiro referiu ainda que se verificou uma pequena diminuição da dívida de curto prazo, tendo sido possível terminar o ano com um resultado positivo apesar de a autarquia ter sido condenada a pagar mais de três milhões de euros num processo que se arrastava nos tribunais há cerca de vinte anos.

  • Imagem00001 1 882 600
    Imagem00001 1 139 90
  • Imagem00001a 1 882 600
    Imagem00001a 1 139 90
  • Imagem00002 1 882 600
    Imagem00002 1 139 90
  • Imagem00003 1 882 600
    Imagem00003 1 139 90
  • Imagem00004 1 882 600
    Imagem00004 1 139 90

Artigos relacionados: